Companhia aérea é criticada por pesar passageiros antes de voos

Companhia aérea é criticada por pesar passageiros antes de voos


Mundo – Atualizado em janeiro de 2017


Ao fazer uma viagem de avião, é comum que os passageiros pesem suas bagagens, já que existe uma carga limite a ser respeitada. Uma companhia aérea do Havaí, no entanto, está pesando não só as malas, mas também os próprios passageiros. O fato, é claro, causou polêmica entre os clientes.


Dois homens que viajavam de Honolulu, no Havaí, para a capital da Samoa Americana, Pago-Pago, formalizaram reclamações no Departamento de Transportes dos Estados Unidos pelo fato de terem sido obrigados a subirem em uma balança antes de entrarem no voo.

De acordo com a Rádio Nova Zelândia, eles ficaram revoltados com a Hawaiian Airlines porque não puderam escolher seus próprios assentos no avião. A companhia aérea argumentou ter registrado um aumento na média de peso dos passageiros, e que por isso precisava distribuir a carga "uniformemente" na aeronave.

Regra discriminatória

Um dos autores da reclamação, Avamua Dave Haleck, afirmou que a nova regra é "discriminatória" e é uma injustiça, porque só está sendo aplicada em voos entre Honolulu e a capital da Samoa Americana.

"E, claro, eles estão dizendo que é 'uma questão de segurança'. Mas então nós estamos voando sem segurança por todos esses anos?", questionou Haleck à rádio.

Justificativa

A companhia aérea afirma ter feito uma pesquisa de segurança que obrigou a empresa a "gerenciar a distribuição de peso na aeronave".

"Os resultados dessa pesquisa confirmaram que o peso da cabine da nossa aeronave era maior do que o projetado. Isso nos obriga a gerenciar a distribuição de peso pela aeronave em cada corredor, e nós escolhemos fazer isso garantindo que um assento em cada corredor fique vazio, ou seja, ocupado por uma criança abaixo de 13 anos", explicou a empresa.

"A decisão de definir os assentos no aeroporto foi feita porque essa é a maneira mais eficiente de gerenciar a distribuição de peso pelo avião. Isso nos permite garantir que famílias e crianças possam sentar juntas, por exemplo, e minimiza a confusão criada quando se tenta trocar assentos já pré-selecionados".

O Departamento de Transporte dos Estados Unidos afirmou que está investigando as reclamações contra a Hawaiian Airlines.