Atividades físicas podem manter seu cérebro jovem por mais tempo

Atividades físicas podem manter seu cérebro jovem por mais tempo


Será possível exercitarmos nosso cérebro? Além de atividades estimulantes, como jogos e caça-palavras, neurocientistas já comprovaram que atividades físicas também podem influenciar no nosso desempenho cerebral.

Estudos afirmam que se exercitar regularmente ajuda a prevenir o envelhecimento do cérebro, melhorar a capacidade cognitiva, reduzir o estresse e deixar a memória ''mais afiada''.

Ao fazer atividades físicas você não está, somente, reduzindo o risco de derrames, diabetes e problemas cardiovasculares. Também foi comprovado que a produção de novas células em regiões importantes do cérebro é maior nas pessoas que se exercitam.


Andar melhora o desenvolvimento cerebral

Um estudo publicado na revista científica Frontiers in Aging Neuroscience aponta que caminhar moderadamente três dias por semana, durante 40 minutos, melhora a conectividade do cérebro e evita doenças relacionadas ao envelhecimento do órgão.

A pesquisa avaliou 865 ex-sedentários, na faixa dos 59 aos 80 anos de idade, que há, aproximadamente, um ano haviam começado a fazer caminhada ou alongamentos. Para chegar aos resultados, os pesquisadores observaram regiões cerebrais que funcionam através de circuitos e que, com o passar dos anos, vão perdendo sua eficiência.

Nos pacientes que caminhavam, as conexões do cérebro melhoraram significativamente, ao contrário do grupo que se alongava, que apresentou um desenvolvimento mais sutil.

Coração saudável, mente saudável

O cérebro de pessoas com problemas cardíacos e de circulação tende a envelhecer mais rápido, segundo uma pesquisa divulgada na revista Circulation: Journal of the American Heart Association. Para os pesquisadores, a má circulação sanguínea pode estar ligada ao encolhimento precoce do cérebro, que é recorrente em pacientes com Mal de Alzheimer.

A dificuldade do coração em bombear sangue faz com que o cérebro receba menos nutrientes e oxigênio do que o necessário. Para os cientistas, ainda é muito cedo para sugerir tratamentos baseados nessas descobertas, mas, sem dúvida, a saúde dos dois órgãos tem algum tipo de relação.

Exercícios deixam o cérebro jovem

Assim como nossos músculos, pele e cabelos, os órgãos também envelhecem com o passar dos anos. Contudo, em indivíduos acostumados a se exercitar regularmente, o processo de envelhecimento pode demorar um pouco mais para começar a acontecer.

Estudos recentes, apresentados durante um congresso da American Heart Association, mostraram que o cérebro de pessoas que não se exercitaram a partir dos 40 anos apresentou uma diminuição severa aos 60 anos de idade. Os pesquisadores chegaram a essa conclusão por meio de testes cognitivos e exames de ressonância magnética.




Modelos de Curriculum Vitae (Downloads Gratuitos)

Currículo, emprego e cursos certificados

As 10 pinturas mais famosas do mundo