Felicidade: A nova ordem dos talentos humanos

Felicidade: A nova ordem dos talentos humanos


Boas Escolhas – #Coluna_Expresso


Um dos primeiros pensadores a sistematizar em que consiste a felicidade foi Aristóteles, e até hoje, nos baseamos em suas ideias. Sem dúvida, desde a época filósofo grego até nossos dias, não há um consenso acerca da definição exata do que é felicidade, embora a maioria das pessoas tenha uma noção mais ou menos intuitiva acerca do que é ser feliz ou o que nos faz feliz.

Os cientistas têm optado pela definição que utiliza a professora da Universidade da Califórnia, Sonja Lyubomirsky, autora do livro ''A ciência da felicidade'', e uma das investigadoras mais rigorosas neste terreno. Segundo ela, ''o uso da palavra 'felicidade' para se referir à experiência de alegria, satisfação ou bem-estar positivo, combinado com a sensação de que nossa vida é boa, tem sentido e vale a pena''. Essa definição faz referência a duas vertentes da felicidade que podem ser entendidas como experiência pontual ou também uma sensação permanente de fundo que impregna nossa existência.


A felicidade e o bem-estar são os resultados que queremos atingir com a psicologia positiva, um estudo científico do funcionamento humano, criado pelo psicólogo Martin Seligman, autor do best-seller ''Felicidade autêntica'', e líder por 15 anos de um movimento de propagação sobre o tema nos Estados Unidos. O principal propósito da psicologia positiva consiste em catalisar uma troca no foco da psicologia, superando a preocupação única em reparar as piores coisas da vida, em prol da construção de qualidades positivas.

Especificamente no universo corporativo, o mundo do trabalho vive em constante revolução silenciosa. Há décadas oferece o dinheiro como estímulo, sendo quase único aos seus funcionários. Organizações inovadoras começam a perceber que esse modelo está ruindo, embora a remuneração ainda seja decisiva, claro, em um mundo transformado pela crise, salários e bônus já não exercem o mesmo fascínio.

A busca por um propósito maior, a chegada de uma nova geração ao mercado e a reinvenção dos escritórios convergem para um ideal há muito negligenciado: a felicidade no trabalho, na sociedade, na educação, nos relacionamentos e nos projetos.

Todas as pessoas têm a possibilidade de aprender sobre felicidade e exercitar essa prática, o que vai nos levar a um mundo formado por pessoas mais tolerantes, conscientes, generosas, resilientes, atentas ao meio ambiente, ao equilíbrio, à aprendizagem e à prática do amar. Aceitar essa possibilidade, aprender a ser feliz e a amar são oportunidades de gerar bem-estar e confiança no desenvolvimento da habilidade de inspiração e colaboração em um projeto comum e sustentável chamado ''planeta Terra''.




Modelos de Curriculum Vitae (Downloads Gratuitos)

Currículo, emprego e cursos certificados

As 10 pinturas mais famosas do mundo