Desvendando o mito da teoria da divisão do cérebro

Desvendando o mito da teoria da divisão do cérebro


Provavelmente, você já ouviu falar sobre a teoria da divisão entre o lado esquerdo e direito do cérebro. A ideia estabelece que cada lado do cérebro controla os diferentes tipos de pensamento. Talvez, o que você não saiba é que essa teoria é apenas um dos inúmeros mitos sobre o cérebro.


Confira também: Você sabe tomar decisões inteligentes?


Segundo a teoria, o lado esquerdo do cérebro seria especialista nas tarefas que envolvem linguagem, pensamento analítico e lógico, sendo melhor em:

1. Língua
2. Números
3. Pensamento crítico
4. Raciocínio
5. Lógica

Já o lado direito do órgão, de acordo com a teoria, teria melhor desempenho em tarefas expressivas e criativas, como:

1. Criatividade
2. Reconhecer rostos
3. Expressar e ler emoções
4. Cor
5. Música

Mesmo que a teoria seja negada pela comunidade científica nos dias atuais, a sua popularidade continua. Ao analisá-la é interessante reparar como os pesquisadores evoluíram nos estudos sobre o funcionamento do cérebro ao longo do tempo.

Estudos indicam que, em média, os dois lados do cérebro são usados igualmente nas diversas atividades que uma pessoa pratica em sua rotina. As experiências realizadas mostram que algumas funções cerebrais ocorrem em um ou no outro lado do cérebro. No entanto, as pessoas não tendem a ter uma atividade cerebral voltada para apenas um dos lados.


História

A teoria teve origem no trabalho de Roger W. Sperry, que recebeu o Prémio Nobel em 1981. Ele identificou as diversas funções dos hemisférios direito e esquerdo do cérebro. Pesquisas posteriores demonstraram que o órgão não é tão dicotômico como acreditavam os estudiosos.

Psicologia

Na área da psicologia, a teoria tem como fundamento a lateralidade da função cerebral. A ideia cresceu a partir de observações distorcidas do cérebro humano.