Seu comportamento na internet pode refletir na imagem da empresa

Seu comportamento na internet pode refletir na imagem da empresa


Com a chegada da era digital nas organizações, o comportamento profissional tem sido cada vez mais avaliado no que se refere, por exemplo, à postura adequada e bom senso, considerando o quanto uma opinião ou informação divulgada, principalmente na internet, poderá ou não refletir diretamente na imagem da empresa.

Partindo do processo seletivo, assuntos polêmicos como religião, política e futebol devem ser evitados. É importante ter cuidado com as opiniões expressas, já que podem gerar interpretações duvidosas, ou mesmo causar certo constrangimento. Deixar piadas ou comentários tendenciosos para ser feito em um grupo fechado de amigos é sempre a melhor opção.

''Todos temos nossas posições e preferências e temos o direito de expressá-las. Mas, obviamente, quando as pessoas são radicais e não respeitam a opinião das outras, assuntos polêmicos podem terminar em confusão'', afirma Gabriel França de Carvalho, diretor geral de comunicação. Para ele, os profissionais devem zelar por um ambiente agradável de trabalho, evitando qualquer tipo de conflito.


Respeito e consideração com a empresa em que atua e reconhecimento pelos gestores e colegas de trabalho é sempre um caminho propício para a reciprocidade e o bom relacionamento, mesmo quando não se está dentro do ambiente corporativo, como exigem algumas situações mais informais, por exemplo, o conteúdo de uma página pessoal na internet.

''Hoje, qualquer tipo de ferramenta na internet é uma faca de dois gumes, podendo ser usada em pró ou não da empresa'' – afirma Davi Saramago, gerente comercial – ''Muitas empresas são mal avaliadas no mercado devido à imagem de seus colaboradores'', explica.




Cuidados com as mídias sociais

Com certeza a internet é o principal meio em que as notícias repercutem de forma rápida e abrangente. Sendo assim, com a chegada das grandes mídias sociais, os cuidados devem ser ainda maiores. Apesar de grande parte das pessoas possuírem suas próprias páginas pessoais sem vinculá-las à empresa onde trabalha, ainda assim ter cautela é sempre recomendado.

''Nós não somos seres de duas cabeças. Tudo o que fazemos em nossas vidas pessoais tem influência em nossas vidas profissionais'', afirma Gabriel. ''É muito comum que nossos clientes e parceiros de negócios procurem saber mais sobre nós na internet. E tudo o que falamos e fazemos contribui para a formação da nossa imagem''.

Não são raros os casos conhecidos de mau uso destas ferramentas e os transtornos profissionais por elas causados, muitas vezes em caráter irreversível. Portanto, evitar esse tipo de situação é também um compromisso profissional consigo próprio e com a empresa, a quem compete estabelecer os parâmetros de uma comunicação clara e contínua com seus colaboradores.

''A comunicação entre funcionário e empresa deve ser ampla, frequente e de fácil entendimento'', menciona Scher Soares, presidente do Grupo Empresarial Triunfo. Para ele, a melhor maneira da empresa se prevenir é definir as regras do jogo, estabelecer limites e utilizar uma política de consequências.