Situações em que um líder é essencial

Situações em que um líder é essencial


Mesmo que qualquer empresa que busque sucesso e crescimento permaneça em estado de conflito constante, entre fatores internos e relacionamentos comerciais, essa situação de tensão cotidiana é considerada um estado natural para um bom líder.


As condições da escalada diária são facilmente mantidas e melhoradas por gerentes e chefes, que com conhecimento e disciplina garantem a extinção de qualquer adversidade.



Quando você é apresentado a uma nova empresa e passeia por seus corredores cheios de palavras confusas e respirando organização, uma das primeiras coisas que conhecemos é a placa ou mural onde estão especificados os valores e a missão daquela empresa.

E dentro de um cenário cotidiano de luta pela manutenção de lucros para acionistas e condições mínimas de trabalho para seus colaboradores, esses preceitos são facilmente mantidos e melhorados.


No dia a dia de uma empresa, chefes e gerentes lidam muito bem com a burocracia e com os erros e acertos operacionais em que seus subordinados estão envolvidos. Uma função de administração teórica que gera uma tranquilidade relativa, e que possibilita a sobrevivência dos dias de trabalho.



Confira também: Sou líder, o que fazer agora?


Quando chega a crise, destaca-se o líder

Há situações que extrapolam essas condições burocráticas e mandam para longe toda a tranquilidade dos dias de paz dentro de uma empresa.


Geralmente isso acontece quando a empresa adquire uma nova conta ou um novo grande cliente, ou pior: quando a empresa perde seu principal cliente por motivos de insatisfação com os serviços prestados.


E na verdade essa turbulência pode até ser verificada em momentos menos críticos, como mudança de base física ou alguma troca de supervisão na companhia. Isso porque a grande maioria dos colaboradores vê qualquer tipo de mudança como negativa, já que quase todos estão buscando sua estabilidade financeira e profissional, e estabilidade não tem nada a ver com crise.


Nesses momentos, a empresa entenderá porque o líder é tão necessário no seu quadro geral. Um chefe sem liderança pode ajudar os funcionários nas mudanças de rotina e nas pequenas alterações do seu trabalho comum, mas só um líder pode retirar aquele incômodo sobre a mudança que ocorre, e pode motivar novamente os colaboradores para remar contra a maré.


– Um chefe conduz com perfeição seu rebanho aos lugares comuns e conhecidos.


Mas só o líder arrasta seus seguidores para lugares obscuros onde ninguém sabe onde pode pisar, só o líder é capaz de fazer qualquer mudança funcionar e realmente ser um marco para o crescimento de toda empresa. Dentro de um quadro de empregados e chefes, não será assim necessário muitos líderes ou muitos gerentes e supervisores com habilidades de liderança.


Se houver algum chefe de destaque ou algum gerente sempre presente que exerça a liderança sobre os demais, esse já será suficiente para motivar todos e fazer sucumbir aquele medo do desconhecido, ou o frio na barriga que sempre sentimos em qualquer turbulência.


Com um líder por perto, todos os colaboradores acreditam que terrenos arenosos são seguros se percorridos em equipe, e que a confiança e o corporativismo são a chave para que, depois da dúvida, a companhia aterrisse em um solo bem mais firme do que sempre esteve, pronta para iniciar um crescimento. O líder, no final das contas, é apenas um agente de coesão, que faz cada um se sentir dentro de um grupo mais homogêneo e potencialmente vencedor.



Confira também: 5 Coisas que um líder deve evitar