+A +/- -A

''Quase fiquei cega por comer verdura mal lavada''

Quase fiquei cega por comer verdura mal lavada


Atualizado em março de 2017



Eu nunca tinha estado fora do Brasil e, justo no dia da minha viagem para o Chile, acordei com muita febre e dor de cabeça. Só podia ser ansiedade por conta da minha primeira viagem internacional. Decidi nem pensar no assunto! Tomei um comprimido e desencanei. No dia 8 de novembro de 2009, lá estava eu no avião para Santiago, rumo a um congresso internacional de membros da minha igreja. O que eu não sabia é que estava com toxoplasmose, uma doença provocada por um parasita e que pode deixar sequelas muito graves!

Minha irmã, Laila, me acompanhava na viagem e também não ficou preocupada, pois meus sintomas pareciam de gripe. Apesar da recepção calorosa pelos irmãos da igreja no Chile e da minha insistência em manter uma atitude positiva, a febre continuava incomodando. Todo mundo que encostava em mim dizia que eu ardia de calor: ''Estas calientita!'', ouvi em espanhol. Passei quatro dias à base de paracetamol e consegui conhecer as cidades de Valparaíso e Viña del Mar, mas, no final do dia, a dor no corpo latejava. Cheguei ao meu limite. Minha cabeça parecia pesar 1 tonelada! Não medi com o termômetro, mas senti que a febre tinha aumentado. Se fosse apenas uma simples gripe, já teria passado, certo? Mesmo quando minhas amigas decidiram me levar para o hospital, tentei não entrar em desespero.

Esperei horas pelo atendimento e adivinha o que me receitaram? Remédio para dor de cabeça. Como me viro bem em espanhol, conversei com o médico, que não pareceu alarmado. Mas, com meus botões, achei que estivesse com a tal da gripe suína, porque foi bem naquela fase de epidemia no Brasil. Fiquei preocupada, mas não surtei.

Fui diagnosticada com sinusite

Depois de sete dias de viagem, não sabia como suportaria as quatro horas da volta dentro de um avião apertadinho. Meu medo era ter um 'piripaque' lá no alto. O jeito, então, foi dormir para ver se o voo passava mais rápido e para tirar as caraminholas da cabeça.

Chegando em casa, abracei minha mãe e desabei a chorar. No dia seguinte, ela me levou ao hospital, onde o médico diagnosticou sinusite. Nunca tive isso, mas segui a recomendação do especialista e comecei a tomar um antibiótico. Supercaro, aliás. Só que os sintomas não iam embora e já fazia 15 dias que as dores no corpo tinham aparecido. Eu comia mal, quase não dormia e estava faltando no trabalho. Então, resolvi procurar um infectologista. Quem sabe ele não desvendava o mistério?

Esse médico pediu exames de sangue, mas o retorno iria demorar mais de um mês, porque ele estava para entrar de férias. Eu não sabia mais a quem recorrer! Aí, lembrei do meu lema: ''Não sabe? Joga no Google!''. Coloquei os sintomas na busca e apareceram vários links sobre toxoplasmose. Mas, veja bem, visitei apenas os sites mais confiáveis, de universidades e institutos de pesquisa. O que mais me assustou foi a possibilidade de cegueira! Nisso, eu já estava sentindo ínguas crescerem no meu pescoço.

Minha vista ficou embaçada por três meses

O exame de sangue confirmou. Era mesmo toxoplasmose. Eu já havia pesquisado na internet que a doença podia ser tratada com remédios para controlar a febre. Foi o que o médico receitou, explicando que o meu próprio sistema imunológico combateria a doença.

O médico disse que a toxoplasmose é causada por um parasita encontrado nas fezes de gatos e pode ser transmitida pela ingestão de alimentos contaminados. Aí, a minha ficha caiu! No lugar onde moro, existe uma plantação orgânica de hortaliças, e os gatos dos vizinhos vivem passeando por lá... Deve ter sido assim que peguei, né?

Nem sempre sabemos de onde vêm os alimentos que comemos e se foram bem lavados e bem cozidos, porque carne crua também pode transmitir a doença, viu? Com tudo isso, percebi que a toxoplasmose é coisa séria e que todo mundo pode pegar.  No meu caso, acho que tive sorte. Minha vista esquerda ficou embaçada por uns três meses, mas depois voltou ao normal. Soube que em alguns casos ocorrem graves sequelas cerebrais e que mulheres grávidas podem até sofrer aborto. Tento tomar o máximo cuidado com o que como e só bebo água filtrada. E, a qualquer sinal de febre ou mal-estar, peço exame de sangue ao médico!


Leila Cristina dos Santos, 34 anos, intérprete de Libras, São Roque, SP.