+A +/- -A

Anvisa proíbe venda de papinha de bebê por falta de registro sanitário

Anvisa proíbe venda de papinha de bebê por falta de registro sanitário


Atualizado em março de 2017


A fabricação, venda, distribuição e divulgação dos produtos da marca 'Papá no Prato' foram proibidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na última segunda-feira, dia 20, em todo o país.

Os itens eram vendidos pela internet por fabricante desconhecido e não tinham registro na agência. Na resolução publicada no Diário Oficial da União (DOU), a agência lembra que os alimentos de transição para lactentes e crianças da primeira infância (de 0 a 6 anos) são de registro sanitário obrigatório.

Em nota, a 'Papá no Prato' informa que "a notificação que receberam se refere à documentação e registro na Agência, não havendo nenhuma notificação ou restrição de ordem sanitária". Afirmam ainda que "os produtos são totalmente seguros e seguem o manual de boas práticas de produção e qualidade, mas já foram recolhidos e não estão sendo comercializados até que todos os trâmites burocráticos sejam resolvidos".


Cuidados ao comprar

A nutricionista Renata da Silva Alves, especializada em grávidas e crianças, recomendou cozinhar refeições frescas diariamente, mas se isso não for possível, os pais podem continuar comprando papinhas ou outros alimentos pela internet, desde que tenham alguns cuidados.

''Certifique-se de que a empresa está de acordo com as normas e regulamentada em órgãos fiscalizadores. Tente, se for possível, visitar a loja física do comerciante, verifique se o estabelecimento possui um nutricionista que calcula os rótulos e fiscaliza a produção dos alimentos e consulte o registro desse profissional no Conselho Regional de Nutrição'', orienta.

Renata destaca que a adição de conservantes e sal só é permitida para crianças acima de um ano de idade, e a de açúcares ou adoçantes, após os dois anos. Assim, é preciso consultar o catálogo com as informações nutricionais para ver se os alimentos vendidos pela internet seguem essa recomendação. Também é importante verificar o tipo de material para armazenamento e se o alimento é transportado em câmara refrigerada. ''O descongelamento do alimento durante o transporte pode proliferar bactérias e causar problemas digestivos na criança'', alerta.