+A +/- -A

Pichações em banheiros de universidade em São Paulo atacam homossexuais

Pichações em banheiros de universidade em São Paulo atacam homossexuais


Atualizado em fevereiro de 2017



O Coletivo LGBT Mackenzista, grupo de alunos da Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo, postou nesta quarta-feira (22) fotos de pichações nos banheiros da universidade. As frases machistas e homofóbicas aparecem acompanhadas de frases de apoio ao deputado federal Jair Messias Bolsonaro, conhecido por seu posicionamento conservador e por suas declarações polêmicas em relação a mulheres, homossexuais e negros.


Em nota oficial, a universidade afirma que os atos são repudiados:

"A Universidade Mackenzie foi surpreendida por manifestações anônimas, de caráter discriminatório, encontradas no ambiente reservado de banheiros.

Por seu princípio confessional está Universidade não faz, não apoia e condena quaisquer tipos de discriminação, repudia violência física e verbal e seguirá defendendo seus princípios de respeito e amor ao próximo".

Não é a primeira vez que pichações preconceituosas são encontradas nos banheiros da instituição. Em outubro de 2015, alunos fotografaram a frase "lugar de negro não é no Mackenzie, é no presídio" também na porta de um dos banheiros.