+A +/- -A

Com R$ 3 mil emprestados, ele fez 4 empresas e virou guru dos negócios

Com R$ 3 mil emprestados, ele fez 4 empresas e virou guru dos negócios


Atualizado em fevereiro de 2017


Com R$ 3.000 emprestados pela mãe do seu sócio, Vinicius Almeida, 38, começou o negócio próprio em 2008, uma escola de cursos profissionalizantes. Hoje ele é um dos donos do Grupo VA, de Taubaté (140 km a nordeste de São Paulo), que possui quatro marcas de franquia e cuida da expansão de outra empresa, que não é própria. Com 220 unidades, considerando todas as empresas, faturou R$ 40 milhões em 2016. O lucro não foi divulgado.


Almeida faz sucesso também com mensagens motivacionais e dicas divulgadas pelas redes sociais. No projeto ''Sinônimo de Sucesso'', ele tem grupo no Facebook, perfil no Instagram, site de empreendedorismo, canal no YouTube e um livro de mesmo nome.

Fez até um rap do empreendedor, com versos como "empreender é o desafio de quem faz acontecer" e "acredite em você".

"O rap surgiu quando fui palestrar em um evento de empreendedorismo. Eu era o último a falar e a pessoa anterior deu a deixa falando sobre rap. Escrevi três versos ali na hora e foi um sucesso entre o público. No dia seguinte, terminei a letra e resolvi gravar com uma amiga cantora profissional", diz.

Ele também gravou um clipe para a música, mas pretende fazer uma nova versão em breve, mais profissional. "Nas palestras que faço, dou livros para quem canta o refrão. E muita gente conhece", afirma.

Vende franquias a partir de R$ 10 mil

As empresas do Grupo VA são a Evolute Cursos Profissionalizantes, Doutor Lubrifica (serviços automotivos delivery), ContabExpress (escritório de contabilidade), The Voucher (cupons de desconto via aplicativo) e Dr. Na Medida (clínica médica popular, a única que não é franquia).

A partir da interação com seus seguidores que, em geral, são pessoas que querem empreender, mas têm pouco capital, ele identificou a necessidade de ter franquias de baixo investimento e também de parcelar o valor.

As franquias têm investimento inicial a partir de R$ 10 mil, caso da The Voucher. O parcelamento é feito em até cinco vezes. O empresário diz já ter conseguido cerca de 15 franqueados a partir das interações com os seguidores do "Sinônimo de Sucesso".

Não dá para começar empresa sem dinheiro

Para o consultor especializado em franquias Luis Stockler, da BaStockler, não há problema em prospectar franqueados dessa forma. "Ensinar as pessoas a empreender é uma das missões do franqueador. As pessoas querem conhecimento na compra de franquia. Tem franqueador que tem um excelente produto, mas peca na hora ensinar os outros a gerir o negócio".

Isto, porém, não deve eliminar o cuidado com a pesquisa da marca. "Antes de investir, é importante investigar se os franqueados estão felizes na rede, se os números apresentados correspondem à realidade do mercado", declara.

Apesar de o empresário do Grupo VA atrair seguidores e franqueados pelo fato de ter começado com pouco dinheiro, o consultor afirma que é impossível começar a empreender sem capital nenhum. "Ter que ter algum investimento, alguma estrutura. Muita gente ainda compra franquia achando que é garantia de sucesso. Mas não é, franquia é garantia de trabalho. O dono trabalha mais que todo mundo, pois, se der prejuízo, é ele que vai pagar".