+A +/- -A

Preso durante 37 anos em solitária ganha o direito de ficar em cela comum

Preso durante 37 anos em solitária ganha o direito de ficar em cela comum


Atualizado em janeiro de 2017


Em setembro do ano passado, um juiz federal determinou que o ''exílio institucional'' do detento Arthur Johnson numa área ''mais pequena do que um estábulo comum'' tinha de acabar. Depois de um processo de transição que durou 90 dias, Arthur foi transferido para junto do resto da população penitenciária está semana no Instituto de Correção Estatal de Greene, na Filadélfia, Pensilvânia.


O caso

Condenado à prisão perpétua, Arthur Johnson foi colocado em isolamento em 1979, depois de ter tentado fugir várias vezes e falhado. Johnson estava preso por crime de homicídio desde 1970, sem hipótese de liberdade condicional.

Decisão judicial

Durante os dois julgamentos que decorreram no Verão passado, o juiz Cristopher Connor concluiu que Johnson não tinha cometido nenhuma infração disciplinar relevante durante mais de 25 anos e que, por essa razão, já não estava em risco de tentar fugir novamente.

''O departamento de correção tem à sua disposição um grande conjunto de técnicas de investigação e castigo que dissuadem até o fugitivo mais ardiloso. Temos convicção que há maneiras menos restritivas de monitorar Johnson sem ter de o colocar na solitária'', escreveu o juiz encarregado deste processo, citado pelo Philadelphia Inquirer.