+A +/- -A

Papa condena caso de mulher que abortou para "manter a beleza"

Papa condena caso de mulher que abortou para "manter a beleza"


Atualizado em janeiro de 2017


O Papa Francisco condenou nesta quarta-feira (11) os "ídolos" que oferecem falsas esperanças, que prometem sucesso, poder e riqueza e citou o caso de uma mulher que decidiu abortar para manter sua beleza.


"Uma linda mulher orgulhosa de sua beleza confessou, como algo natural, que sim, que ela tinha abortado porque para ela a sua aparência era muito importante", disse o papa durante a tradicional audiência de quarta-feira na sala Paulo VI.

Citando anedotas da época em que era bispo de Buenos Aires, o pontífice argentino condenou "a ideologia com pretexto de sucesso, riqueza, poder, vaidade".

"Valores como a beleza física e a saúde, quando se tornam ídolos para os quais deve-se sacrificar tudo, tornam-se realidades que confundem a mente e o coração", disse a centenas de fiéis de todas as nacionalidades.

"Às vezes nós queremos um Deus que realize nossos desejos, que magicamente intervenha para mudar a realidade e transformá-la no que queremos", alertou.

Como seus predecessores, Francisco, fiel à doutrina da Igreja Católica, se opõe fortemente ao aborto.

Como parte do jubileu proclamado no ano passado, o papa autorizou todos os sacerdotes do mundo a absolver durante a confissão as mulheres que praticaram aborto, um pecado que até o momento só podia ser perdoado por bispos.