+A +/- -A

Papa cita teoria da ''sociedade líquida'' e cultura do efêmero para explicar o mundo

Papa cita teoria da ''sociedade líquida'' e cultura do efêmero para explicar o mundo


Atualizado em janeiro de 2017


Durante uma missa neste sábado (21), na Basílica de San Giovanni in Laterano, em Roma, o Papa Francisco usou o conceito mais célebre do filósofo polonês Zygmunt Bauman, morto no início de janeiro, para explicar a situação atual do mundo.


Falando a frades da Ordem dos Dominicanos, o líder da Igreja Católica afirmou que as pessoas se movem na chamada "sociedade líquida" e na "cultura do efêmero". Na teoria de Bauman, a "modernidade líquida" não valoriza o permanente, apenas o temporário, e essa mudança constante, inclusive nas relações pessoais, provocam insegurança e medo.

"Nos movemos na dita sociedade líquida, sem pontos fixos, desequilibrada, privada de referências sólidas e estáveis, na cultura do efêmero, do 'usa e descarta'", declarou. O Papa também fez um apelo para os religiosos não se perderem em meio ao "carnaval da curiosidade mundana".

A morte de Bauman, que tinha 91 anos, foi anunciada no último dia 9 de janeiro. O filósofo vivia em Leeds, no Reino Unido.


Fonte: ANSA