+A +/- -A

Moradores voltam para casa após 3 meses e acham outra família no local

Moradores voltam para casa após 3 meses e acham outra família no local


Atualizado em janeiro de 2017


Uma família de Ribeirão Preto, em São Paulo, voltou para casa depois de três meses e teve uma surpresa desagradável ao encontrar outras pessoas morando no local. O homem que está no imóvel alega que o comprou de uma parente da família que se diz dona da propriedade.


A dona de casa Fernanda Souza diz que ela, a mãe, uma tia e um sobrinho moram na casa, que foi comprada pelo pai dela, que já morreu, em 1998. A família deixou o imóvel para acompanhar a mãe da mulher em um tratamento médico e não voltou durante 90 dias.

"A gente não voltou porque a casa é toda fechada e tem cerca elétrica. Eu bati no portão para ver o que estava acontecendo e nisso saiu um cidadão de lá dizendo que tinha comprado a casa da minha tia, que inclusive estava doente, fazendo tratamento juntamente com a minha mãe. Ele falou que comprou a casa dela e que era para eu sair de lá e que ele ia dar um tiro na minha cara se eu tentasse entrar", explicou Fernanda.

Pertences que estavam na casa, na cidade de Ribeirão Preto, sumiram

Eles conseguiram entrar na casa só depois de procurar a polícia, três dias após o retorno para Ribeirão Preto. Ao chegar na residência, Fernanda diz que ficou surpresa ao notar que nenhum dos pertences que a família havia deixado no imóvel, incluindo um carro, estava lá. "Eu tenho cinco trocas de roupa, uma sandália, xampu e é isso que eu tenho. Da minha casa o que sobrou foi isso".

O novo morador do imóvel, identificado como Eder, diz que comprou a casa de uma tia de Fernanda, a qual teria estado o tempo todo em São Paulo. A mulher nega que tenha feito a venda e diz que nunca tinha visto o rapaz. Ele acredita que foi enganado.

"A velha negociou a casa comigo. Eu dei R$ 160 mil para ela mais 20 parcelas de R$ 2 mil e falou que quando eu acabasse de pagá-la ela me daria os documentos da casa. Ela vendeu a casa do irmão dela para mim. E não vai ficar assim não, se eu perder R$ 160 mil que eu tirei dos meus filhos para comprar uma coisa para eles. Agora está tudo com meu advogado", afirmou o homem.

A Polícia Civil abriu inquérito para investigar o caso. Segundo o delegado responsável, a própria família deve entrar com ação de reintegração de posse.