+A +/- -A

Preciso demitir e agora?

Preciso demitir e agora?


Quem disse que demissão é a coisa mais suja na vida de um chefe? Depende, muitas vezes tomar a decisão de demitir alguém pode ser a melhor escolha para o crescimento de uma equipe. Claro que a situação é mesmo complicada, e talvez seja preciso esgotar todas as possibilidades antes de partir para essa opção.


Demitir é mesmo a melhor opção?

Nem sempre a demissão é uma questão de merecimento. Muitas vezes, a organização está somente cortando custos. E claro, dar a notícia ao seu funcionário não é algo bom, mas é preciso fazer isso da melhor maneira possível, realizando esse trabalho com profissionalismo.

A opção por não demitir alguém que está desagregando pode prejudicar o desenvolvimento global da equipe e o clima organizacional. Por isso, é melhor analisar com cautela a situação e todo o contexto e, se for preciso, corte o mal pela raiz. Demissões sempre tendem a ensinar lições valiosas, seja para as equipes ou para o líder.

Faça o processo demissional ser uma etapa tranquila. Seja educado, mostre os verdadeiros motivos e prepare toda a documentação necessária. Antes de demitir de fato o profissional, veja se já possui alguém na equipe para que possa dar continuidade ao trabalho realizado por ele e se precisa de alguma informação que só ele saiba.

Deixar o funcionário trabalhar o dia todo e demiti-lo ao final do dia é considerado, por muitos líderes, uma falta de respeito. Faça isso logo cedo, é muito mais prático.


Confira também: Erros que levam à demissão



O que analisar antes de demitir



Antes de demitir, faça uma análise e considere que estará garantindo que essa situação será valiosa para a experiência da equipe, aja com ética e seja coerente. Pense em alguns fatores como:


1. Motivos: Analise os verdadeiros motivos dessa demissão. Veja se não tem culpa quanto ao papel do seu subordinado. É preciso ter certeza que a organização demonstrou todas as definições e expectativas, orientando os funcionários corretamente, pois, caso haja culpa por parte da organização é melhor corrigir e dar mais uma chance.

Antes de apontar um culpado, analise com cautela a situação. Afinal, demissão gera custos para a organização, às vezes muito além do esperado.

2. Comunicação: Processos de feedback ao longo da rotina são essenciais para demonstrar o quanto a empresa está esperando receber dos seus funcionários, bem como está enviando sinais e estimulando melhorias. Quando isso é transparente, e acontece de forma confortável, é muito mais fácil dar a notícia de demissão.

O profissional que sabe do seu desempenho e enxerga de forma clara como a organização está avaliando-o, tem mais chances para melhorar ou para compreender a demissão como parte do processo natural de uma carreira.

3. Controle: As situações inusitadas devem ser controladas. Muitas vezes os gerentes preferem não lidar com elas da forma como deveria e isso acaba causando uma demissão. Veja o que é possível fazer para evitar que isso aconteça.

4. Desempenho: Antes de demitir alguém por baixo desempenho, veja se é possível reaproveitar esse funcionário em outras funções, aproveitando melhor os conhecimentos e experiência do mesmo. Considere fazer rotatividade entre os funcionários até conseguir extrair o melhor de cada um.

5. Personalidade: Seja cuidadoso e procure analisar com calma todo o cenário antes de demitir. Procure ser racional e levar em consideração a performance do profissional como um todo.

Partir para demissão só porque a personalidade do profissional é muito diferente da sua, ou por motivos pessoais, é um grande erro. Pense que uma demissão pode influenciar a maneira e o respeito com que todos enxergam você em sua posição de líder.


Confira também: 7 Lições estratégicas para pequenas e médias empresas