+A +/- -A

Boas Escolhas

Oferta Exclusiva

Estude conosco e GANHE um brinde na hora! Saiba mais
Aproveite e cadastre-se agora gratuitamente!

  

Alerta aos pais: ''O jogo da baleia azul'' é um pacto de suicídio para adolescentes

Alerta aos pais: ''O jogo da baleia azul'' é um pacto de suicídio para adolescentes


Atualizado em abril de 2017



Os pais de adolescentes de países da Europa e também da Ásia estão preocupados com um jogo brutal na Internet. O denominado ''Desafio da Baleia Azul'' já levou pelo menos três meninas a cometerem suicídio.

Se arriscar do alto de um edifício, desenhar uma baleia na pele com canivete ou gilete. Essas são algumas das tarefas do jogo. Uma lista que inclui ouvir horas de músicas psicodélicas e passar um dia inteiro sem dormir assistindo filmes de violência. São ao todo 50 desafios, o último seria tirar a própria vida. O jogo ''Blue Whale Game'', só existe em grupos fechados e secretos nas redes sociais, principalmente no Facebook e WhatsApp. Os administradores passam as ordens às 4h20m da manhã e nos dias seguintes os participantes precisam enviar fotos ou vídeos (exigência do jogo) para mostrar que a 'missão' foi cumprida, passando na tarefa, o participando é encaminhado para outro grupo onde todos já cumpriram as condições anteriores e ali receberão outro 'desafio'.

A última vítima foi uma russa de 16 anos, chegou ao fim do jogo, pulando do alto de um edifício, poucos dias depois de outra adolescente de 15 fazer o mesmo, mas antes publicou a foto de uma baleia no seu perfil e escreveu ''END'' (fim) ao lado do próprio nome. A primeira vítima do jogo de que se tem registro foi no final de 2016, onde para cumprir a última tarefa, se jogou na frente de um trem em movimento. Um diálogo de um candidato a entrar no jogo com um dos administradores foi divulgado: ''I want to play the game'', ''Are you sure? There is no way back''. ''And if I want to get out?''. ''I have your information. They will come after you'', a ameaça ainda se estende aos parentes, quando os adolescentes dizem que não querem mais fazer parte do jogo.


Mas por que um jovem teria o interesse ou a curiosidade de participar de um jogo assim? ''Baleia Azul'' é na prática um pacto de suicídio, é como se alguém abraçasse o desafio para tomar coragem de chegar ao último ato, o definitivo. A psicóloga Tânia Guimarães, especialista em adolescentes acredita que o jogo é um gatilho para jovens que tem problemas emocionais ou distúrbios mentais. ''Eu acho que eles já chegam ali com uma pré-disposição intensa ao suicídio''.

As autoridades da Rússia, onde o jogo foi criado, originalmente, fizeram um alerta para os pais de todo o mundo e divulgaram um vídeo contra o jogo. Na Ucrânia um casal salvou o filho de pular de um prédio, depois de encontrarem um bilhete de despedida. O garoto estava jogando ''Baleia Azul''.

Os pais precisam prestar atenção no comportamento dos filhos. ''A primeira reação é a inibição social. Se um adolescente está começando a sair da sociedade, ou só falar com outro ser humano através de uma máquina. Outra observação é a disposição. Um adolescente que está demasiadamente triste ou que está demasiadamente eufórico, está havendo uma polaridade que sem dúvida é um sinal de perigo'', disse a psicóloga.

Assim, alertamos aos pais, irmãos mais velhos, tios, avós, professores quanto ao jogo e ao comportamento de seus adolescentes. Neste momento as autoridades russas estão fazendo um levantamento minucioso em busca dos administradores dos grupos de ''Baleia Azul''. No Brasil, o Facebook já foi notificado pelo Cultura Coletiva a deletar tais grupos.




Criança que ficou famosa por deitar no chão enquanto a mãe tomava banho morre de câncer

Criança que ficou famosa por deitar no chão enquanto a mãe tomava banho morre de câncer


Atualizado em abril de 2017


Conhecido por comover as redes sociais após uma foto sua deitado no chão enquanto a mãe tomava banho viralizar, o pequeno Nolan Scully, de quatro anos, faleceu vítima de câncer.


Diagnosticado em 2015 com Rabdomiossarcoma, um tipo raro que afeta as células musculares de tendões e do tecido conjuntivo, Nolan, de Maryland, nos Estados Unidos, lutou por 18 meses contra a doença.

A notícia da perda foi dada recentemente por Ruth Scully, mãe do menino, em sua conta do Facebook. Na publicação, ela escreveu: "Eu vejo tudo que ele alcançou em curtos quatro anos e apenas consigo pensar em tudo que ele conseguiria alcançar durante uma vida longa. Mas infelizmente por causa do câncer infantil o mundo e nossa família perdeu alguém tão cheio de amor".

A história de Nolan chamou atenção de internautas há pouco mais de dois meses, quando Ruth compartilhou uma foto do menino, que sem querer passar um minuto longe da mãe, deitado no chão do banheiro enquanto ela tomava banho. O caso expôs a dura realidade do câncer infantil e comoveu a muitos na web. "Com nada além de um tapete de chuveiro vazio onde uma vez um menino pequeno, perfeito e belo esperada tranquilo sua mamãe", finalizou Ruth.





Falso médico é preso tentando conseguir emprego no Pará

Falso médico é preso tentando conseguir emprego no Pará


Atualizado em abril de 2017


Um homem de 40 anos foi preso neste sábado (8) por suspeita de usar um diploma falso para se passar por médico no município de Melgaço, na ilha do Marajó, no Pará.

Segundo informações da Polícia Civil (PC), o homem tentou fechar contrato para prestar serviços na região, mas os documentos não convenceram funcionários da prefeitura, que chamaram a polícia. Ele ainda tentou fugir, mas foi preso minutos após deixar o local.


A polícia ainda informou que o suspeito não tem registro no Conselho de Medicina. Além disso, o falso médico já teria praticado o golpe no município de São Félix do Araguaia (MT), onde tem passagem por falsidade ideológica e exercício ilegal da medicina.




'Me preocupa que prendam o Lula', diz Dilma em conferência nos EUA

'Me preocupa que prendam o Lula', diz Dilma em conferência nos EUA


Atualizado em abril de 2017


Ao iniciar seu périplo pelos Estados Unidos para defender que o processo de impeachment que a tirou do poder foi um golpe, a ex-presidente Dilma Vana Rousseff disse, neste sábado, que ela se preocupa com a eventual prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.


"Me preocupa muito que mudem as regras do jogo democrático. Me preocupa que prendam o Lula. Me preocupa que tirem o Lula da parada", disse Dilma, na ''Brazil Conference'', evento organizado por alunos brasileiros na Universidade Harvard, em Boston.

Segundo Dilma, há uma "possibilidade concreta" de que Lula ganhe as eleições presidenciais de 2018, se concorrer. "Infelizmente, para as oposições, ele tem nas pesquisas 38%, com tudo o que fizeram com ele", disse. "Deixa ele concorrer para ver se ele não ganha".

Falando pouco antes de um evento com o juiz Sergio Fernando Moro, na mesma conferência, Dilma criticou "o uso político e ideológico da Lava Jato" e disse que é "inadmissível" um juiz falar publicamente, fora do processo.

"Não é admissível juiz falar fora de processo, em qualquer lugar do mundo", disse. "Não concordo com nenhum uso de law fare [uso da lei com fins políticos] porque compromete o direito de defesa. Não podemos em nome das vantagens desse combate [da Lava Jato], que é reduzir a distorção do gasto público brasileiro destinado à corrupção, comprometer o sistema democrático no Brasil", afirmou.

Dilma também não poupou críticas ao PMDB, do presidente Michel Temer, que disse ter sido "hegemonizado pela direita mais radical do Brasil", na figura do ex-deputado e ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha.

A ex-presidente reconheceu como um de seus erros "não ter percebido na dimensão necessária" que a coalizão pela qual foi eleita, com o então vice Temer, estava no fim.

"Um centro que é hegemonizado pela direita deixa a coalizão muito difícil", disse. "O centro democrático do Brasil foi hegemonizado pela direita. O MDB velho de guerra foi hegemonizado pelo Cunha. E o Cunha não é grave porque ele é corrupto. Ele é grave porque é uma pessoa conservadora em termos econômicos, de civilização e extremamente preconceituosa".




Menina encontrada em floresta indiana "não estava vivendo com macacos"

Menina encontrada em floresta indiana "não estava vivendo com macacos"


Atualizado em abril de 2017



Mas, segundo o jornal "Índia Times", há bem menos mistério do que se imagina: as autoridades trabalham com a possibilidade de que a garota, que tem entre 8 e 10 anos, é uma deficiente mental abandonada pelos pais na floresta em que foi encontrada há algumas semanas, no Estado de Uttar Pradesh, no norte do país.

Inicialmente, o policial Suresh Yadav tinha contado que a menina foi encontrada brincando com macacos e que imitava seu comportamento. Ela tinha sido avistada por moradores de um vilarejo na reserva natural de Katarniaghat, próximo da fronteira com o Nepal.


Mas autoridades indianas desmentiram os relatos e afirmaram que o mais provável é que a menina tenha sido abandonada pelos pais. E que ela não tenha passado muito tempo na floresta.

"Não é possível que uma menina passe anos em um bosque e que guardas florestais ou mesmo centenas de câmeras instaladas para monitorar animais não a tenham notado", disse Gyan Praksh Singh, um responsável pelo setor da floresta em que a menina foi encontrada. "O mais provável é que ela tenha sido abandonada aqui pouco antes de ser encontrada".

Alguns relatos falavam em macacos atacando a equipe de resgate e que a menina estava desnutrida, tinha cabelos e unhas longos e apresentava ferimentos e arranhões pelo corpo. Mas a nova versão é que a garota foi encontrada perto de uma estrada, não nas profundezas da floresta.

"Os pais sabiam que ela não poderia falar e a abandonaram. Temos macacos aqui, mas ela não estava vivendo com eles", disse, em entrevista ao jornal "The Guardian", J.P. Singh, diretor do departamento florestal do Estado. "Quem vê a menina percebe logo que ela tem problemas mentais e físicos".

A previdência social indiana oferece pouca ajuda para famílias com crianças deficientes, em um país em que centenas de milhões de pessoas vivem em pobreza absoluta.

Segundo as autoridades, a menina foi enviada para um albergue infantil.

Mogli

A garota recebeu até a visita de autoridades no hospital. Tinha sido chamada de "Durga da Floresta", uma referência a uma deusa guerreira hindu, e comparada a Mogli, personagem de "O Livro da Selva" (1894), de Rudyard Kipling.

Na história, adaptada pela The Walt Disney Company para o cinema, um menino indiano é criado na natureza por um bando de lobos.